Food Service

O Food Service tem merecido muita dedicação dos players da Conveniência. Tudo para tornar esta categoria destino para as lojas. Tudo para fazê-la geradora de tráfego. O objetivo é conquistar o cliente para que ele tenha na loja o lugar de escolha para fazer um lanche ou uma refeição, para tomar um café da manhã ou da tarde.

Vale mencionar que muitas lojas já atingiram essa meta e conseguiram ganhar um público cativo de Food Service. Quanto maior a participação da categoria nas vendas, melhor para o varejista, afinal ela apresenta margens de lucro bem generosas.

Trata-se, portanto, de uma categoria estratégica para o negócio e tem importante sinergia com outras categorias como Bebidas Não Alcoólicas e Snacks. A qualidade da oferta, a diversidade do cardápio e a eficiência no atendimento e operação são aspectos que, quando bem trabalhados, representam vantagem competitiva e fidelizam o consumidor.

Além dos cuidados inerentes à gestão do Food Service, como segurança alimentar e qualidade de produtos e fornecedores, a categoria apresenta outros desafios como, por exemplo, atender a demanda da “saudabilidade”. Oferecer alternativas saudáveis, fresquinhas e saborosas é fundamental para quem está no mercado de alimentação fora do lar. Outro desafio é a concorrência cada vez maior e mais competitiva – cafeterias, padarias, cadeias de alimentação, food trucks, minimercados, lanchonetes etc. Todos investindo em Food Service, ávidos por uma grande “mordida” nesse mercado promissor.

E o setor de alimentação fora do lar só tende a crescer!

Resultados de 2018

Lojas de Conveniência das Associadas à Plural

  • Os dados da categoria Food Service se referem apenas ao grupo de lojas das associadas à Plural (am/pm, BR Mania e Select).
  • Em 2018, o share da categoria Food Service cresceu dois pontos percentuais, atingindo 18,2% em participação no faturamento das lojas das associadas à Plural (vs. 16,2%, em 2017, e 15,6% em 2016).
  • Na categoria Food Service, destacam-se as seguintes subcategorias: Salgados com 26,6% de share; Café com 20,7%; Pão de Queijo com 13,9%; Sanduíches, 13,6%; e Panificados, 13%.
  • Salgados perderam 1,2 ponto percentual quando comparamos com o resultado da subcategoria em 2017. Já Café, que vem ganhando participação, cresceu 1,3 ponto percentual (15,8% em 2016; 19,4% em 2017; 20,7% em 2018).
  • Sanduíches perderam share nos últimos 2 anos. A participação em 2016 era de 16,8% e de 15,7% em 2017. A subcategoria fechou 2018 com 2,1 pontos percentuais a menos que o ano anterior.
  • Panificados cresceram 2,4 pontos percentuais de 2017 para 2018.

SHARE SUBCATEGORIAS - FOOD SERVICE %

2017 2018
SALGADOS 27,8 26,6
SANDUÍCHES 15,7 13,5
CAFÉ 19,4 20,6
PÃO DE QUEIJO 13,3 13,8
CACHORRO QUENTE 0,0 0,0
PANIFICADOS 10,6 12,9
PIZZAS 0,6 0,6
DOCES 4,7 6,0
PRATOS PRONTOS 2,3 2,3
OUTROS 5,6 3,2

Sobre o mercado

“Alimentação fora do lar cresce 3,5% em 2018, abaixo da previsão de 5%”

“De acordo com levantamento da Associação Nacional de Restaurantes, o setor de alimentação fora do lar cresceu 3,5% em 2018. Mesmo com o aumento, os números são bem menores do a que previsão da organização, que era de 5%. No entanto, o índice alcançado até o momento sinaliza sinais de melhora no segmento que, desde o ano de 2015, vinha regredindo.

A paralisação dos caminhoneiros é um dos principais fatores que afetaram o segmento de alimentação fora do lar. Durante a greve, diversos estabelecimentos sofreram com a falta de importantes produtos para a manutenção de suas atividades. Cristiano Melles, presidente da ANR, afirma que algumas empresas do setor chegaram a fechar as portas durante a paralisação, trazendo impacto para suas receitas (…).”

Publicado em 10/01/2019
Fonte: Imprensa Mercado & Consumo

Leia Mais

Inspiração, inovação e velocidade. Palavras de ordem no foodservice em 2019

“O ano de 2019 começando, consolidada a mudança presidencial no país, economistas indicando boas perspectivas e a máxima: “o mercado de foodservice é o último a entrar na crise e é o primeiro a sair dela” torna o nosso setor bastante otimista com todas essas mudanças.  Assim, a ordem é planejar a curto e médio prazo, mover-se com rapidez, analisar e corrigir a rota, retroalimentando os negócios e mantendo o consumidor no centro de sua estratégia(…).”

Publicado em 10/01/2019

Fonte: site Proxxima, do Meio&Mensagem

4 tendências para setor alimentício em 2019

“Perspectivas de crescimento econômico e gosto do brasileiro por uma gastronomia diversificada, trazem previsões positivas para a área”

“2019 é um ano que começa com boas expectativas para a indústria alimentícia. Depois de períodos difíceis por conta da recessão econômica, o setor está otimista para os próximos meses. Dados do Boletim Focus, divulgado pelo Banco Central, mostram que a previsão de crescimento da economia em 2019 subiu de 2,53% para 2,55% e a estimativa de investimentos estrangeiros no país avançou de US$ 77,20 bilhões para US$ 80 bilhões. Os analistas das instituições financeiras também preveem queda do desemprego, alta do PIB, redução de juros e controle da inflação, o que deve resultar em melhoria nos negócios, maior confiança dos empresários e aumento do consumo(…)”

Publicado em 08/03/2019
Fonte: redação da Revista Food Service News

Saiba mais

Autoatendimento cresce no foodservice brasileiro

“O autoatendimento vem crescendo no foodservice. Grandes redes vem investindo cada vez mais no formato, sobretudo em praças de alimentação, como no modelo internacional. A ABIA (Associação Brasileira da Indústria de Alimentação) fez uma pesquisa que indica que o setor representa 10,1% do PIB nacional e que a tecnologia pode trazer um grande impacto nos números.

A rede McDonald’s, por exemplo, planeja investir cerca de R$ 9 bi em modernização e abertura de novas lojas com autoatendimento até o fim de 2019. Outro exemplo é do Grupo Madero, dono dos restaurantes Madero Steakhouse e Madero Container, que estão em processo de transformação. A companhia lançou no final de 2017 a marca Jeronimo, uma hamburgueria estilo fast casual, com totens de autoatendimento. A novidade foi expandida para o Madero Container em menos de dois meses.  As novas marcas do grupo, Vó Maria Durski e A Sanduicheria do Junior Durski foram inauguradas exclusivamente com autoatendimento.(…)”

Fonte: Imprensa Mercado & Consumo

Leia mais

Crescimento do food service em 2019 exige embalagens melhores

“O mercado de food service (alimentação fora do lar) tem alta previsão de crescimento para 2019. Nos últimos dez anos, o setor cresceu 246%, e, em 2017 o índice chegou a 6,8%. Os valores refletem os novos hábitos alimentares da população com a explosão dos serviços de delivery por aplicativo e do segmento grab and go, em que o consumidor pede a comida no balcão para levar. Esses fatores contribuíram para que a produção física brasileira de embalagens crescesse 1,96% em 2017, de acordo com a Associação Brasileira de Embalagens (ABRE). Apesar do aumento da demanda, as embalagens destinadas ao contato direto com alimentos ainda requerem melhorias para atender à exigência do cliente por um produto entregue com mais qualidade (…).”

Publicado em: 11/02/2019
Fonte: ABRE – Associação Brasileira de Embalagens (ABRE) publicado no site Datamar

Saiba mais